Balancete contábil: entenda sua importância para a gestão empresarial

O balancete contábil, diferentemente do balanço patrimonial, não é uma obrigatoriedade. No entanto, ele atua como uma ferramenta estratégica da gestão empresarial, permitindo um panorama de toda a posição financeira da empresa.

Por meio da análise de créditos e débitos, você passa a entender em que pé está a saúde financeira do negócio. Essa informação é muito importante para expandir a empresa e também atrair a atenção de investidores, por exemplo.

Como muitas pessoas podem fazer confusão com esse termo, aqui neste artigo você vai entender melhor o conceito, sua finalidade e importância para a gestão empresarial. Acompanhe!

O que é balancete contábil?

O balancete contábil é uma análise periódica de créditos e débitos da empresa, que indica a capacidade do negócio de pagar por tudo que possui. 

Em outras palavras, tendo diferentes períodos como amostra, o empresário consegue avaliar o desempenho da empresa ao longo do tempo, tendo uma compreensão melhor sobre lucros e também prejuízos.

Sendo assim, a contabilidade da empresa é a responsável por esse relatório, que apresenta um demonstrativo de saldo e de todas as contas em movimento.

Aliás, é importante não confundir o balancete contábil com balanço patrimonial. O balanço patrimonial, primeiramente, é um demonstrativo obrigatório para as empresas, estabelecido pela Lei nº 6.404/76

Simplificando, podemos dizer que um faz parte do outro. A diferença é que o balancete não é obrigatório e se utiliza de recortes de tempo em suas análises, justamente por ser objetivos mais pontuais do que o balanço patrimonial — mais complexo e extenso.

Para que serve o balancete contábil?

O balancete contábil serve como instrumento para uma gestão empresarial mais eficiente. 

Quando a empresa assume o compromisso de mantê-lo sempre atualizado, esse relatório ajuda a identificar erros comuns como duplicidades, omissões ou inversões, como saldos divergentes. Consequentemente, a gestão evita prejuízos futuros. 

O balancete contábil também aponta gastos desnecessários e excessivos, assim como auxilia na elaboração do Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE) e do balanço patrimonial. 

Naturalmente, a tomada de decisão e o planejamento de metas ficam mais embasados e assertivos.

Quais contas devem estar no balancete?

As contas consideradas no balancete dependem muito da própria empresa. Isso porque é preciso verificar a disponibilidade dos contadores para executar tal função. 

Veja bem, o balancete contábil não precisa ser algo complexo e que demande muito tempo da sua equipe. Analise seus objetivos com essas informações e não se preocupe se o resultado for simples e direto. O que importa é ele ser útil para sua gestão.

De forma geral, esse relatório é formado por:

  • Contas patrimoniais: compreendem os ativos (bens e direitos), passivos (obrigações) e o patrimônio líquido (capital social e resultados obtidos);
  • Contas de resultado: que consideram receitas, despesas e custos, permitindo verificar os ganhos do negócio e os valores necessários para manter a empresa funcionando.

O mais estratégico aqui é como se dará a organização dessas informações Selecionando o período de análise, é preciso identificar as respectivas datas, grupos de contas, saldos, entre outros critérios.  

Com isso, é possível definir um padrão que poderá ser replicado em balancetes futuros, pensando de que forma eles melhor poderão ser utilizados pela gestão.

Gostou de saber mais sobre balancete contábil? Leia também nosso artigo sobre a importância do fluxo de caixa para sua empresa!

Gostou dessa Publicação?

Compartilhar no facebook
Compartilhe no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhe no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhe no Linkdin
Compartilhar no pinterest
Compartilhe no Pinterest

Deixe um comentário