Taxa de juros: 8 boas práticas para sua empresa se prevenir dela

taxa de juros

Taxa de juros nada mais é do que uma porcentagem que você precisa pagar ao credor quando pega dinheiro emprestado. No caso das empresas, é bem fácil ficar refém dela, seja com seu banco ou devido a um empréstimo.

O problema é que esse valor pode causar prejuízos significativos para o caixa da empresa, especialmente quando as coisas fogem do controle e você acaba se afundando em juros.

Por isso, aqui neste post você vai conferir algumas boas práticas que pode adotar na sua rotina de trabalho para evitar a armadilha da taxa de juros. Então acompanhe!

Como funciona a taxa de juros?

Como mencionamos, a taxa de juros está relacionada ao empréstimo de dinheiro. No caso dos bancos, por exemplo, o dinheiro na sua poupança rende juros porque você está emprestando um valor para a instituição. 

Da mesma forma, o banco também cobra um valor a mais quando você faz um empréstimo ou atrasa o pagamento do cartão de crédito.

É importante saber que a taxa de juros não é a mesma para todos os casos, assim como não são sempre fixas. Isso quer dizer que o valor a pagar depende da situação e também pode aumentar ao longo do tempo, de acordo com as condições estabelecidas previamente.

O que fazer para evitar os juros?

Para uma empresa, que precisa lidar com diversas despesas e ainda gerar lucro, qualquer valor — por menor que seja — faz diferença no caixa. Daí a importância de evitar ao máximo os juros, especialmente os mais abusivos.

O melhor de tudo é que, adotando algumas boas práticas na gestão financeira, você já consegue reduzir drasticamente esse risco. Confira quais são elas:

1. Prezar pela organização diária

Evitar surpresas negativas é o sonho de qualquer gestor, especialmente aquele responsável pelo setor financeiro. Para isso, ter uma rotina de organização é fundamental, buscando manter um planejamento diário.

Sendo assim, é importante revisar prioridades todos os dias, conferindo tudo o que precisa ser pago naquele dia e anotando o prazo de novas demandas que surgirem.

2. Agende o pagamento de contas fixas

Esquecer de pagar uma conta é algo pelo qual todos estamos sujeitos a passar em algum momento da vida, inclusive as contas da empresa. Porém, pagar após o vencimento também acarreta juros, que você pode evitar se pagar no prazo.

Uma boa saída para evitar esse problema é agendar o pagamento automático das contas fixas, seja pelo internet banking ou por algum software de gestão financeira.

3. Faça o controle de caixa

Você precisa ter uma previsão do saldo de caixa no dia do pagamento das suas contas, garantindo que o valor necessário estará disponível. 

Organizando seu fluxo de caixa e lançando as receitas e despesas com precisão, sua empresa ganha previsibilidade e você facilita a gestão do seu saldo, tanto no momento presente, quanto nas datas de pagamento.

4. Planeje pensando em valores mais altos

É um risco planejar pagar as contas com seu valor real. O ideal é analisar a variação nos últimos 12 meses, utilizando sempre o valor mais alto como base para o seu planejamento.

Assim, você evita se surpreender com uma despesa que não esperava, caindo na taxa de juros por atraso ou empréstimo.

5. Não use o dinheiro da empresa para fins pessoais

Quando o caixa da empresa está saudável e você tem um problema pessoal, pode ser tentador recorrer a esse dinheiro para resolver a questão, com a desculpa de que você vai repor os valores depois.

Pense no dinheiro da empresa como um capital separado do seu, que você não pode usar para fins que não atendam aos interesses do negócio. Da mesma forma, lembre-se de que não ter saldo para pagar contas ou seus colaboradores pode ser o início de um problema muito maior.

6. Defina o seu salário

Uma dica que anda de mãos dadas com a anterior. Você não deve utilizar o dinheiro da empresa para fins pessoais, mas é claro que também precisa arcar com suas contas e despesas pessoais.

Por isso, é importante definir qual será o seu salário como empresário. Ou seja, pensa na porcentagem do lucro a que você terá direito todos os meses. Sendo assim, seja rigoroso com esse valor e tenha um controle dos seus gastos, reduzindo a tentação de obter valores cada vez mais altos para si mesmo.

7. Analise qualquer investimento não planejado

Qualquer investimento que use o dinheiro da empresa precisa passar por análise. Ainda que você se depare com uma oportunidade única de investimento, aplicar um valor por impulso pode provocar descontrole em todo seu planejamento.

Em outras palavras, procure entender os riscos e impactos para o negócio e tenha certeza de que o saldo de caixa não ficará comprometido nas datas de pagamento.

8. Tenha capital de giro

Por mais que você se esforce para manter sua previsibilidade financeira, é preciso estar consciente de que imprevistos acontecem. Existem oscilações nos preços de matérias-primas, inflação, crises e outras situações fora de seu controle que podem impactar a saúde do negócio.

Por isso, é importante manter um capital de giro para esses momentos em que o mercado passa por dificuldades.Se você tem o costume de tirar todos os lucros da conta da empresa, deixando-a zerada, os riscos de se endividar são altos.

Calcule e mantenha um capital de giro que possa manter sua empresa estável, para que ela consiga continuar funcionando mesmo em períodos mais escassos.

Que tal começar a colocar em prática essas ações e evitar a temida taxa de juros? Se este conteúdo te ajudou, confira também 7 dicas para ser um empreendedor de sucesso em 2021!

Gostou dessa Publicação?

Compartilhar no facebook
Compartilhe no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhe no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhe no Linkdin
Compartilhar no pinterest
Compartilhe no Pinterest

Deixe um comentário