Fluxo de caixa: importância dele para sua empresa

cálculo de fluxo de caixa

O fluxo de caixa é um dos melhores amigos do empresário. Ele estará presente durante todos os momentos em que você tiver que tomar uma decisão importante relacionada ao seu negócio. 

Isso porque te confere o poder de acompanhar de perto as movimentações financeiras, além de servir como suporte para um controle mais assertivo.

Se você ainda não sabe bem como isso é possível, aqui vamos explicar o que é o fluxo de caixa, qual sua importância e como exatamente ele é útil para sua rotina administrativa. Além disso, daremos algumas dicas de como não errar nessa gestão. Acompanhe!

O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é uma ferramenta de controle financeiro, que ajuda a visualizar melhor as entradas e saídas de capital dentro de uma empresa. Esse cálculo é realizado mensalmente e, ao final do ano, é possível fazer um balanço geral do desempenho do negócio.

Existem diferentes tipos de fluxo de caixa, com foco em necessidades e objetivos específicos. Os principais deles são:

Operacional

O fluxo de caixa operacional faz uma análise das receitas e despesas operacionais do negócio dentro de um determinado período, avaliando a variação do capital de giro. 

Seu objetivo é mostrar o faturamento da empresa e seus resultados, deixando de lado os investimentos, por exemplo.

Direto

O fluxo de caixa direto é o método mais utilizado, sendo um pouco mais completo que o operacional. Além de considerar receitas e despesas, ele também inclui investimentos e impostos, sendo um pouquinho mais trabalhoso.

Com ele, o gestor é capaz de identificar se faltarão recursos, se planejando para buscar novas fontes de ganho. Da mesma forma, caso ele perceba que vai sobrar receita, ele pode pensar em novos investimentos. Sendo assim, é uma ferramenta muito útil para a estratégia da empresa.

Indireto

O fluxo de caixa indireto explora o regime de competência, ou seja, as informações contábeis. 

Analisando a movimentação de caixa por meio desse método, as informações utilizadas são, por exemplo, o DRE (Demonstrativo de Resultados do Exercício) e o BP (Balanço Patrimonial). Assim, tem-se um outro ponto de vista, ainda que seja a mesma análise do método direto.

Livre

O fluxo de caixa livre (FCL) serve para que o administrador tenha em mãos o valor disponível na empresa após todos os seus gastos essenciais serem quitados.

Ou seja, ele é um cálculo feito para mensurar se a empresa dispõe do capital necessário para honrar com seus compromissos.

Descontado

O fluxo de caixa descontado é um cálculo muito utilizado em negociações de empresas em caso de fusões. Em linhas gerais, ele determina o valor da empresa e fornece uma avaliação do retorno de capital que a aquisição dela tem o potencial de oferecer para possíveis investidores. 

Qual a importância do fluxo de caixa?

Como podemos ver através dos tipos de controle de caixa, esse método é uma importante ferramenta para a administração de uma empresa, pois atua como base para a tomada de decisão.

Ele é essencial para o planejamento do negócio. Uma empresa que está começando, por exemplo, não tem tanto dinheiro no seu caixa. Portanto, para cobrir gastos com fornecedores, despesas operacionais e salário de colaboradores, é preciso ser minucioso com os valores e saber muito bem como distribuir o capital.

Sem uma organização e, consequentemente, sem um bom controle de fluxo de caixa, a empresa pode acabar não tendo recursos para arcar com todas essas contas, enfrentando sérios problemas.

Esse planejamento de caixa significa que a empresa poderá contar com a previsibilidade. Ou seja, é possível identificar o problema e agir rapidamente, traçando respostas precisas para as deficiências encontradas.

Com essa ferramenta, a empresa pode, por exemplo:

  • Desenvolver uma gestão estratégica muito mais completa;
  • Identificar a necessidade de contratar crédito;
  • Elaborar uma política de prazos para pagamentos e recebimentos;
  • Avaliar a capacidade da empresa a longo prazo;
  • Identificar oportunidades de expansão do negócio;
  • Prever, planejar e controlar entradas e saídas em um período específico;
  • Definir o momento certo para promoções e campanhas.

Como elaborar um fluxo de caixa eficiente?

Aqui vão algumas dicas de otimização que você pode aplicar quando estiver elaborando seu fluxo de caixa, seja qual for o objetivo:

  • Especifique detalhadamente todas as movimentações feitas no caixa.
  • Não deixe de classificar os itens como despesas ou receitas, pois facilita a visualização macro;
  • Tenha um inventário com todos os projetos de aplicação e expansão;
  • Defina o ciclo operacional, ou seja, qual o período desde a aquisição da matéria-prima até o recebimento do valor da venda do produto;
  • Não deixe de atualizar o fluxo de caixa conforme o ciclo operacional estabelecido;
  • Considere cenários negativos, pois eles te ajudam a se preparar para imprevistos;
  • Acompanhe o controle diariamente, com disciplina e comprometimento.

Veja também: 10 dicas de gestão para alavancar o seu negócio!

Gostou dessa Publicação?

Compartilhar no facebook
Compartilhe no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhe no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhe no Linkdin
Compartilhar no pinterest
Compartilhe no Pinterest

Deixe um comentário